You are currently viewing Apresentação do Congresso de Artes Liberais

Apresentação do Congresso de Artes Liberais

O relativismo e o subjetivismo abundam nas escolas e universidades; mas ninguém é relativista ao levar um soco na cara.

“Transcendência”: palavra mística ou proibida. As artes liberais buscam a transcendência, no caminho para atingir o bem e evitar o mal.  Os três transcendentais: verum, pulchrum, bonum, unidos pelo unum.

Toda ação humana ou vai em direção a esses transcendentais, ou deles se afasta. –

Bonum: a busca do bem útil. Nós precisamos de muitas coisas úteis, coisas que servem para que nós sobrevivamos. Relacionado com a matéria. Cor vermelha, intensidade. Deus criou a matéria e viu que era bom. Bonum. A educação para a bondade também existe na aquisição de bens úteis.

Pulchrum: os bens aprazíveis. Não cozinhamos um feijão pensando só na quantidade de proteína, mas também pensamos no sabor. Queremos não só uma casa, mas uma casa bela. Azul é a cor da atração, que convida a entrar. O céu. A beleza é aquilo que atrai.

Verum: os bens valiosos. Qualquer criança sabe que precisa de amarelo pra desenhar o sol. O amarelo é a luz. O ouro, o bronze. A verdade é o que ilumina e que faz que todo o resto tenha sentido.

A educação liberal vai buscar ordenar esses bens na unidade. Bens naturais e artificiais. Água e garrafa. “Artificial” hoje em dia é quase um xingamento. “Suco natural” na verdade não existe, é preciso uma arte para fazê-lo.

“Ars” em latim e “techne” em grego são a mesma coisa. Arte e técnica. Toda educação é uma educação de culto, de cultura. A educação liberal vai educar a alma, o espírito. Cada um dos transcendentais e bens corresponde a uma das potências da alma. Verum = inteligência, Pulchrum = imaginação e Bonum = vontade.

A circularidade do diagrama dos transcendentais nos ajuda a compreender a educação da alma como uma série de órbitas. Assim como há planetas que mesmo girando em velocidades diversas acabam se alinhando periodicamente. O ser humano precisa ordenar-se assim. A imaginação e a vontade devem auxiliar a inteligência, e vice-versa. O homem é o microcosmo. –

Arte e ciência. Muitas vezes chamamos de ciência algo que é arte. O microscópio, o gráfico do Excel, a técnica do manejo dos utensílios de laboratório, etc. não fazem parte da ciência da Biologia. São precisas muitas artes para se chegar a um conhecimento. Ciência = scientia = scire, saber. As técnicas não são o fim, são o meio. -Ao falar em artes, hoje pensamos em “belas artes”. Mas o marceneiro já é de certo modo um artista, um artífice, por dar arte à madeira.

Deixe um comentário